Saúde

Terapia de Cócegas na Orelha – Como Funciona

Terapia de Cócegas na Orelha pesquisadores ingleses aplicam esta técnica a partir de estimulação elétrica para diminuir os efeitos do envelhecimento. Este método também pode melhorar o humor e a qualidade do sono.De acordo com o novo estudo publicado na revista Aging  a terapia feita por duas semanas através estimulação elétrica do nervo vago da bons resultados. Eles são suficientes para prevenir problemas como hipertensão e doenças cardíacas. Este é  um dos nervos mais longos do corpo, que conecta o cérebro a diversas partes do corpo. 

Terapia de Cócegas na Orelha - Como Funciona

Como Funciona a Terapia de Cócegas na Orelha

O nervo vago é responsável por regular funções corporais tais como, a respiração e frequência cardíacas, e formadas por dois sistemas, o parassimpático e o simpático.  Através do estimulo feito na orelha, ajuda a melhorar o humor e o sono, além de combater a ansiedade. “A orelha funciona como a porta de entrada para mexer com o balanço do corpo sem a necessidade de medicamentos ou procedimentos invasivos”, explicou Beatrice Bretherton, principal autora da pesquisa, ao Medical News Today. Embora seja usada uma corrente elétrica, os pacientes dizem sentir apenas “cócegas” na região do estímulo. Tratamento muito parecido  já é utilizado como forma de tratar epilepsia, e estudos mostram o bom desempenho do método no tratamento de depressão e obesidade.  A estimulação do sistema nervoso chamou a atenção de pesquisadores por sua associação, em estudos prévios, a tratamentos de depressão e obesidade.

Terapia de Cócegas na Orelha - Como Funciona

Até agora para ser feita a transferência de correntes elétricas no nervo vago, era necessário realizar uma pequena cirurgia para implantar eletrodos na região do pescoço. Este novo método se aproveita de que alguns dos nervos podem ser estimulados sem a necessidade de medidas mais invasivas, por estarem conectados a áreas superficiais da orelha. Os cientistas ainda aguardam mais estudos para acompanhar os efeitos a longo prazo desta nova terapia.

Agradecemos a visita em nosso site. Procuramos trazer sempre o melhor para você. Gostou da matéria? Buscando uma forma de descartar a intervenção cirúrgica, os pesquisadores da Universidade de Leeds, na Inglaterra, decidiram testar se o estímulo externo!  Deixe seu comentário.

Print Friendly, PDF & Email

Comente Via FaceBook

Comentários

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.